Partida

partidaCheguei hoje, de repente, a
uma sensação absurda e justa.
Reparei, num relampago intimo,
que não sou ninguem. Ninguem,
absolutamente ninguem. [...]
Sou os arredores de uma villa
que não ha, o commentario
prolixo a um livro que se não
escreveu. Não sou ninguem,
ninguem. Não sei sentir, não sei
pensar, não sei querer. Sou uma
figura de romance por escrever,
passando aerea, e desfeita sem
ter sido, entre os sonhos de quem
me não soube formular. [...]

----------------------------------------------------

Fernando Pessoa. Livro do Desasocego.
Edição de Jerónimo Pizarro.
Lisboa: IN-CM, 2010. Tomo I, p. 346-7.


Lélia Parreira
Vertigem - 2013
Acrílica sobre tela
90 x 100 cm