Orpheu

orpheuOrpheu testemunha a chegada do
futuro, com o triunfo dos motores,
das máquinas e das indústrias, o
que resulta, porém, na divisão de
um eu insaciável, de impensável
completude, consciente de buscar o
absoluto e encontrar apenas o
próprio vazio interior.

-------------------------------------------------
Lélia Parreira Duarte. In: Orpheu, a alma nua da
poesia. In: Encontros de poesia. Belo Horizonte:
CESP / FALE / UFMG, 2017.

Lélia Parreira
Orpheu - 2015
Impressão e acrílicasobre tela.
50 x 50 cm

© 2010 /2018 - Todos Direitos Reservados à Lélia Parreira